Quer saber mais?

Preencha o formulário que retornaremos em breve

Nós entramos em contato

Preencha o formulário que retornaremos em breve

Procedimentos


Curvatura Peniana

Compartilhe

A Curvatura Peniana ou Doença de Peyronie é o desenvolvimento de tecido cicatricial fibroso dentro do pênis que causa curvatura no pênis e ereções dolorosas na sua fase inicial.

 

O pênis dos homens varia em forma e tamanho. Ter uma ereção curva é comum e não é necessariamente um motivo de preocupação. No entanto, em alguns homens, a doença de Peyronie provoca uma curvatura que dificulta a penetração e podendo reduzir o tamanho do pênis e dor significativa na fase inicial (6 meses) que desaparece na estabilização da placa de fibrose.

 

Isso pode impedir um homem de ter relações sexuais ou pode tornar difícil de obter ou manter uma ereção (Disfunção Erétil). Para muitos homens, a doença de Peyronie também causa estresse e ansiedade.

 

Graus de Curvatura Peniana (Doença de Peyronie)

 

Em uma pequena porcentagem de homens, a doença de Peyronie desaparece por conta própria. Mas na maioria dos casos, ela permanecerá estável ou poderá piorar. O tratamento pode ser necessário se a curvatura é suficientemente grave que impede a relação sexual bem-sucedida.

 

 

SINTOMAS DA DOENÇA DE PEYRONIE

 

Sinais e sintomas da doença de Peyronie pode aparecer de repente ou desenvolver gradualmente. Os sinais e sintomas mais comuns incluem:

 

  • O tecido da cicatriz (placas): O tecido de cicatriz (placas) associadas com a doença de Peyronie pode ser sentida sob a pele do pênis protuberâncias como plana ou uma placa de tecido duro.
  • Curvatura significativa no pênis: Seu pênis pode ficar curvado para cima, para baixo ou curvado para um lado. Em alguns casos, o pênis ereto pode ter entalhes ou estreitamentos, uma aparência de ampulheta, com uma cinta estreita apertada em torno dele.
  • Problemas de ereção: A doença de Peyronie pode causar problemas em ter ou manter uma ereção (disfunção erétil).
  • Encurtamento do pênis: Seu pênis pode ficar mais curto, como resultado da doença de Peyronie.
  • Dor: Você pode ter dor peniana, com ou sem uma ereção, em especial nos 6 meses de instalação da doença.

 

A curvatura associada com a doença de Peyronie pode piorar progressivamente. Em algum ponto, contudo, estabiliza-se na maioria dos homens.

 

Na maioria dos homens, a dor durante as ereções, melhora dentro de um a dois anos, mas o tecido da cicatriz e a curvatura muitas vezes permanecem. Para alguns homens, tanto a curvatura e a dor associada com a doença de Peyronie podem melhorar sem tratamento.

 

 

CAUSAS DA DOENÇA DE PEYRONIE

 

A causa da doença de Peyronie não é completamente compreendida, mas uma série de fatores parecem estar envolvidos.

 

Acredita-se que a doença de Peyronie geralmente resulta de uma lesão repetida no pênis. Por exemplo, o pênis pode ser danificado durante o sexo (micro traumas repetidos no pênis durante a relação sexual) ou como o resultado de um acidente (fratura peniana). No entanto, na maioria das vezes, os homens não se lembram do trauma específico para relatar ao médico ou a si mesmo.

 

Durante o processo de cicatrização dos traumas, as cicatrizes se formam desorganizadas, o que pode, então, levar a um nódulo que você vai sentir no desenvolvimento da curvatura.

 

Cada lado do pênis contém um tubo de esponja (corpo cavernoso) que contém muitos vasos sanguíneos minúsculos. Cada um dos corpos cavernosos é envolvido por tecido elástico chamado de túnica albugínea, que se estende durante uma ereção.

 

Corte transversal do pênis

 

 

Quando você se torna sexualmente excitado, o fluxo sanguíneo para estas câmaras aumenta. À medida que as câmaras se enchem de sangue, o pênis se expande, endireita e endurece para uma ereção.

 

Na doença de Peyronie, quando o pênis fica ereto, a região com o tecido da cicatriz não estica, e o pênis produz uma curvatura pela não elasticidade da albugínea.

 

Em alguns homens, a doença de Peyronie aparece gradualmente e não parece estar relacionada a uma lesão. Os pesquisadores estão investigando se a doença de Peyronie pode ser ligada a uma característica hereditária ou certas condições de saúde.

 

 

FATORES DE RISCO

 

A pequena lesão no pênis nem sempre leva à doença de Peyronie. No entanto, vários fatores podem contribuir para problemas da cicatrização dos micro traumas e a formação de tecido cicatricial, que pode desempenhar um papel na doença de Peyronie. Esses incluem:

 

  • Hereditariedade: Se o seu pai ou irmão tem a doença de Peyronie, você tem um risco aumentado da doença.
  • Distúrbios do tecido conjuntivo : Os homens que têm uma doença do tecido conjuntivo parecem ter um risco aumentado de desenvolver a doença de Peyronie. Por exemplo, um número de homens que têm a doença de Peyronie também têm uma condição conhecida como contratura de Dupuytren - um espessamento tendão da palma da mão que faz com que os dedos se contraiam para dentro.
  • Idade: A prevalência da doença aumenta com a idade. Mudanças relacionadas à idade em tecidos podem levá-los a ser mais facilmente feridos e menos propensos a cicatrizar bem.
  • Outros fatores: incluindo certas condições de saúde, tabagismo e alguns tipos de cirurgia de próstata - pode estar ligado à doença de Peyronie.

 

 

COMPLICAÇÕES

 

Complicações da doença de Peyronie podem incluir:

  • Incapacidade de ter relações sexuais;
  • Dificuldade em atingir ou manter uma ereção (disfunção erétil);
  • Ansiedade ou estresse sobre as habilidades sexuais ou a aparência de seu pênis.

 

 

TESTES E DIAGNÓSTICOS

 

Um exame físico é muitas vezes suficiente para identificar a presença de tecido cicatricial no pênis e diagnosticar a doença de Peyronie. Raramente, outras condições causam sintomas semelhantes e precisam ser descartadas.

 

Os testes para diagnosticar a doença de Peyronie e entender exatamente o que está causando os sintomas podem incluir o seguinte:

 

  • Exame físico: O seu médico vai examinar (apalpar) seu pênis quando ele não está ereto, para identificar a localização e a quantidade de tecido cicatricial. Ele ou ela pode também medir o comprimento de seu pênis. Se a condição continua a agravar-se, esta medição inicial ajuda a determinar se o pênis tem encurtado. Seu médico também pode pedir-lhe para trazer fotos de seu pênis ereto tomadas em casa. Isto pode determinar o grau de curvatura, de localização de tecido de cicatriz ou outros detalhes que pode ajudar a identificar o melhor método de tratamento.
  • Outros testes: O seu médico pode pedir um ultrassom ou outros testes para examinar seu pênis quando ele está ereto.Antes de tomar imagens de seu pênis, você provavelmente vai receber uma injeção diretamente no pênis que causa a tornar-se ereto. O ultrassom é o teste mais comumente usado para anormalidades do pênis. Testes de ultrassom usa ondas sonoras para produzir imagens dos tecidos moles. Estes testes podem mostrar a presença de tecido cicatricial, o fluxo sanguíneo para o pênis e quaisquer outras anormalidades.

 

 

TRATAMENTOS

 

O seu médico pode recomendar uma espera vigilante, isto é, esperar para ver se evolui:

  • A curvatura do seu pênis não é grave e já não está piorando;
  • Você ainda pode ter relações sexuais sem dor;
  • Dor durante as ereções é leve; Você tem uma boa função erétil.

 

Se os sintomas forem graves ou estão piorando ao longo do tempo, o seu médico pode recomendar medicação ou cirurgia.

 

 

CIRURGIA PARA CORRIGIR CURVATURA PENIANA

 

A maioria dos especialistas não recomendam a cirurgia durante a fase inflamatória, fase inicial da doença de Peyronie. O seu médico pode sugerir a cirurgia se a deformidade do pênis é grave, especialmente incômoda, ou o impede de ter relações sexuais. A cirurgia geralmente não é recomendada até a curvatura de seu pênis parar de aumentar (estabilizar).

 

Os métodos cirúrgicos incluem:

  • Sutura (plicaturas) no lado afetado: Uma variedade de procedimentos, tais como Nesbit, pode ser usado para sutura (plicada) o lado mais longo do pênis (o lado sem tecido cicatricial). Isso pode endireitar o pênis, mas pode resultar em encurtamento real ou percebido. Em alguns casos, os procedimentos de plicação podem causar disfunção erétil.
  • Incisão ou excisão e enxerto: Geralmente usado em casos de curvatura mais grave, esse procedimento está ligado a maiores riscos de agravamento da função erétil em comparação com os procedimentos de plicaturas. O cirurgião faz um ou mais cortes no tecido cicatricial, por vezes, a remoção de parte do referido tecido, permitindo esticar e endireitar o pênis. O cirurgião pode usar um pedaço de tecido (enxerto) para cobrir os orifícios da túnica albugínea, uma membrana no interior do pênis que ajuda a manter uma ereção.
  • Implantes penianos: Implantes penianos (prótese peniana) inserido cirurgicamente substituir o tecido cavernoso que se enche de sangue durante uma ereção. Os implantes podem ser semi-rígido (maleável) ou inflável, com uma bomba implantada no escroto. O Implante peniano pode ser considerado se você tem uma doença de disfunção erétil associado a Peyronie.

 

O tipo de cirurgia vai depender de sua condição. O seu médico irá considerar a localização do tecido da cicatriz, a gravidade dos seus sintomas e outros fatores.

 

 

 

MEDICAÇÃO

 

Os objetivos do tratamento com medicação incluem reduzir a formação da placa e dor, bem como minimizar a curvatura do pênis.

 

Há um medicamento aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) para o tratamento da doença de Peyronie. Ela é chamada Colagenase Clostridium Histolyticum (vídeo abaixo). Este medicamento está aprovado para utilização nos homens com uma massa palpável de placa no pênis que provoca uma curvatura de pelo menos 30 graus durante a ereção.

 

O tratamento funciona por quebrar o acúmulo de colágeno, que faz a curvatura peniana. Ela envolve uma série de injeções em exercício, diretamente no nódulo do pênis, bem como modelagem peniana - breves exercícios para esticar suavemente e endireitar o pênis.

 

 

Em ensaios clínicos, a curvatura reduziu significativamente os sintomas e incômodos associados à doença de Peyronie, em muitos participantes.

 

Discuta possíveis efeitos colaterais desta medicação com seu médico, pois alguns deles podem ser graves.

 

Exemplos de uso de medicamentos para a doença de Peyronie incluem medicamentos de uso oral e injeções ou gel de uso tópico.

 

 

OUTROS TRATAMENTOS

 

Uma técnica conhecida como iontoforese utiliza uma corrente elétrica fraca para proporcionar uma combinação de dexametasona e de forma não invasiva o verapamil através da pele. A pesquisa mostra resultados conflitantes.

 

Vários tratamentos para Peyronie estão sendo investigadas, mas a evidência é limitada sobre a forma como eles trabalham e possíveis efeitos colaterais. Estes incluem o uso de ondas sonoras intensas para romper o tecido da cicatriz (terapia por ondas de choque), dispositivos para alongar o pênis (terapia de tração peniana com alongador peniano, extensor peniano) e dispositivos de vácuo.

 

 

ENFRENTAMENTO E APOIO

 

A doença de Peyronie pode ser uma fonte de ansiedade significativa e criar estresse entre você e seu parceiro sexual. As sugestões a seguir podem ajudá-lo a lidar com a doença de Peyronie:

 

  • Explique ao seu parceira(o) o que a doença de Peyronie é e como isso afeta a sua capacidade de ter relações sexuais.
  • Deixe seu parceira(o) saber como você se sente sobre a aparência do seu pênis e sua capacidade de ter relações sexuais.
  • Converse com seu parceira(o) sobre como vocês dois podem manter a intimidade sexual e física.
  • Converse com um profissional de saúde sobre suas ansiedades e medos.

 

Assista a um vídeo sobre o procedimento:

 

 

 

Referências:

 

Psychosexual Symptoms and Treatment of Peyronie's Disease Within a Collaborative Care Model.

Hatzimouratidis K, et ai. Orientações da EAU sobre curvatura peniana.European Urology. 2012; 62: 543.

Wein AJ, et ai. Campbell-Walsh Urology. 10 ed. Filadélfia, Pa .: Saunders Elsevier; 2012. http://www.clinicalkey.com. Acessado em 11 de maio de 2014.

WO Brandt, et ai. A doença de Peyronie: Diagnóstico e tratamento médico.http://www.uptodate.com/home. Acessado em 11 de maio de 2014.

Ferri FF. Advisor Clínica Ferri 2014: 5 Livros em 1. Filadélfia, Pa .: Mosby Elsevier; 2014. https://www.clinicalkey.com. Acessado em 11 de maio de 2014.

A doença de Peyronie. Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais. http://kidney.niddk.nih.gov/kudiseases/pubs/peyronie. Acessado em 11 de maio de 2014.

WO Brandt, et ai. O tratamento cirúrgico da doença de Peyronie. http://www.uptodate.com/home. Acessado em 11 de maio de 2014.

AK Ouro. Sistema de Apoio à Decisão. Mayo Clinic, em Rochester, Minnesota. 23 de abril de 2014.

FDA aprova primeiro medicamento para o tratamento da doença de Peyronie.US Food and Drug Administration. http://www.fda.gov/newsevents/newsroom/pressannouncements/ucm377849.htm. Acessado em 11 de maio de 2014.

Trost LW (opinião de especialistas). Mayo Clinic, em Rochester, Minnesota. 28 de maio de 2014. Broderick GA (opinião de especialistas). Mayo Clinic, em Rochester, Minnesota. 11 de setembro de 2014.

 

Envie sua dúvida ou solicite o agendamento de um horário pelo formulário abaixo:

Hubspot: